Postado em 31/01/2019

Deficiente visual, aluna do CPC é aprovada em primeiro lugar pelo Sisu na UFJF

Há sete anos Jandira Lopes, 63 anos, enfrentou um derrame ocular e perdeu parte significativa da visão, mas a dificuldade não reduziu a vontade de ingressar no ensino superior.

Deficiente visual, aluna do CPC é aprovada em primeiro lugar pelo Sisu na UFJF

Jandira Lopes, 63 anos, encerrou sua trajetória como estudante no Curso Preparatório para Concurso (CPC), e começa agora a escrever novo capítulo de sua história na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Há sete anos ela enfrentou um derrame ocular e perdeu parte significativa da visão, fazendo com que começasse a enxergar apenas na forma de vultos, mas a dificuldade não reduziu a vontade de ingressar no ensino superior. Neste ano, Jandira foi aprovada em primeiro lugar no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), na categoria de candidatos com deficiência e autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, para o curso de Letras na UFJF, área que sempre foi instigante para ela: “Sei que vou gostar da faculdade, porque sempre fui apaixonada pela língua portuguesa e literatura. Inclusive, escrevo poemas e letras de músicas. Espero publicar um livro algum dia”.

Para alcançar o resultado esperado, a aluna se apoiou em sua dedicação, sempre trazendo suas dúvidas sobre o conteúdo na sala de aula, participando dos “aulões” e contando com o apoio dos professores do CPC: “Eles sempre foram muito carinhosos comigo, e me mandavam todo o material em PDF, pois tenho aplicativo no celular que lê para mim”. Ela contou que, quando descobriu que havia sido selecionada, seu sentimento foi de gratidão e alegria: “Quando descobri que havia sido selecionada, estava em uma lan house, e saí de lá pulando, gritando e chorando de alegria. Foi muito gratificante”.

Para a supervisora de Políticas Para a Juventude, Jaqueline Trovato, o CPC cumpre seu papel ao contribuir para o sucesso acadêmico dos estudantes: “Jandira é um exemplo de inspiração para os outros alunos. Diante dessas situações, percebemos que estamos alcançando nosso propósito, que busca fazer com que os alunos se sintam acolhidos e alcancem êxito em suas aspirações”.


* Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social pelo telefone 3690-8314.



Fonte: PJF