A linha de montagem estava operando normalmente. Durante o processo produtivo, a montagem dos veículos, soldagem, casamento entre motor/câmbio e carroceria, pintura, entre outras operações, pareciam totalmente comuns como deveriam ser. Porém, havia um problema que ninguém estava percebendo. O processo naqueles dias continuou sem interrupções, mas o que não foi visto ali, gerou um recall de veículo mais adiante.

O exemplo acima é um entre tantos que já ocorrem que é difícil listar a quantidade de chamadas de automóveis por causa de defeitos em todo o mundo. Mas acredite, o número é bem elevado, ainda mais se considerarmos a quantidade de automóveis que foram chamados em todo o mundo. Só em 2017 no Brasil, mais de 2 milhões de carros entraram na lista do recall de veículo.

O número parece enorme, mas basta considerarmos que só a fabricante japonesa Takata, que faz sistemas automotivos, com o defeito do airbag que explodia ao ser inflado e gerou dezenas de mortes, acumulou mais de 100 milhões de carros de inúmeras marcas, que tiveram que substituir dos dispositivos e, obviamente, nem todo mundo conseguiu fazer ainda e muitos que fizeram, rodam sem os airbags funcionais por causa da escassez do item que seria o substituto na reparação. Leia Mais

Postado em 26/06/2018

Ford faz recall de 35.526 unidades da Ranger por 'airbags mortais' A Ford anunciou nesta terça-feira (26) o recall de 35.526 unidades da Ranger, de modelo 2005 a 2012, no Brasil por possível defeito nos airbags do motorista e passageiro - caso o veículo o tenha.

A falha faz com que o airbag defeituoso abra com muita força no caso mundialmente conhecido como 'airbags mortais' produzidos pela Takata. Leia Mais

Postado em 26/06/2018