Ao analisar dados de saúde de homens na Coreia do Sul, um estudo recente publicado no Annals of Clinical and Translational Neurology descobriu que os cidadãos que mantinham o hábito de fumar cigarros possuíam uma chance maior de ter demência, inclusive o Alzheimer.

Para realizar a pesquisa, os cientistas recrutaram 51.849 homens com 60 anos ou mais e os submeteram a exames de saúde entre 2002 e 2005. As mulheres foram excluídas devido a taxas de tabagismo extremamente baixas na Coreia. Leia Mais
Postado em 09/09/2018

Sobre a necessidade de reinventar o modo como lidamos com a demência Demência é uma espécie de guarda-chuva que abrange diversas doenças que atingem cerca de 7% das pessoas acima dos 65 anos, sendo que o tipo mais comum é o Alzheimer, que representa entre 60% a 70% dos casos. É por isso que 21 de setembro, Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer, tem um significado especial. Com o progressivo envelhecimento da população, a expectativa é de que o número de pacientes com demência triplique, passando dos atuais 50 milhões para 150 milhões. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que são 10 milhões de novos casos por ano, sendo que seis milhões em países de baixa e média renda e 55 mil no Brasil – onde o problema ganhará contornos dramáticos, dadas as deficiências do sistema público de saúde. Leia Mais

Postado em 09/09/2018