F11 Política

Política

Começa apuração do segundo turno

Começa apuração do segundo turno
Foto: © Rovena Rosa/Agência Brasil

A votação do segundo turno das eleições municipais foi encerrada às 17h (horário de Brasília) na maior parte do país. Os eleitores que estão nas filas das seções eleitorais receberão senhas e poderão votar mesmo com o término do horário.

Com fim da votação, os votos passam a ser apurados e os resultados serão divulgados pela Justiça Eleitoral.

Devido ao fuso horário, a votação continua em Cuiabá, Porto Velho, Manaus e Boa Vista, capitais que estão atrasadas uma hora em relação ao horário de Brasília. As seções também continuam abertas em Rio Branco, que tem duas horas de diferença em relação ao horário da capital federal.

Neste segundo turno das eleições municipais, cerca de 38 milhões de pessoas estão aptas a participar do pleito. Em 57 municípios do país, sendo 18 capitais e 39 municípios com mais de 200 mil eleitores, nenhum dos candidatos a prefeito atingiu a maioria absoluta dos votos para ser eleito no primeiro turno, realizado em 15 de novembro.

Confira as 18 capitais onde haverá segundo turno:

Aracaju: Edvaldo Nogueira (PDT) e Danielle Garcia (Cidadania)
Belém: Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Eguchi (Patriota)
Boa Vista: Arthur Henrique (MDB) e Ottaci (Solidariedade)
Cuiabá: Emanuel Pinheiro (MDB) e Abílio Júnior (Pode)
Fortaleza: Sarto Nogueira (PDT) e Capitão Wagner (Pros)
Goiânia: Maguito Vilela (MDB) e Vanderlan Cardoso (PSD)
João Pessoa: Cícero Lucena (Progressistas) e Nilvan Ferreira (MDB)
Maceió: Alfredo Gaspar (MDB) e JHC (PSB)
Manaus: Amazonino Mendes (Podemos) e David Almeida (Avante)
Porto Alegre: Sebastião Melo (MDB) e Manuela d'Ávila (PCdoB)
Porto Velho: Hildon Chaves (PSDB) e Cristiane Lopes (PP)
Recife: João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT)
Rio Branco: Socorro Neri (PSB) e Tião Bocalom (PP)
Rio de Janeiro: Marcelo Crivella (Republicanos) e Eduardo Paes (DEM)
São Luís: Eduardo Braide (Pode) e Duarte Júnior (Republicanos)
São Paulo: Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL)
Teresina: Dr. Pessoa (MDB) e Kleber Montezuma (PSDB)
Vitória: Delegado Pazolini (Republicanos) e João Coser (PT)

Confira os 39 municípios onde haverá segundo turno:

Anápolis (GO): Roberto Naves (PP) e Antonio Gomide (PT)
Bauru (SP): Suéllen Rosim (Patriota) e Dr Raul (DEM)
Blumenau (SC): Mário Hildebrandt (Pode) e João Paulo Kleinübing (DEM)
Campinas (SP): Dário Saadi (Republicanos) e Rafa Zimbaldi (PL)
Campos dos Goytacazes (RJ): Wladimir Garotinho (PSD - sub judice) e Caio Vianna (PDT)
Canoas (RS): Jairo Jorge (PSD) e Luiz Carlos Busato (PTB)
Cariacica (ES): Euclério Sampaio (DEM) e Célia Tavares (PT)
Caucaia (CE): Naumi Amorim (PSD) e Vitor Valim (Pros)
Caxias do Sul (RS): Pepe Vargas (PT) e Adiló (PSDB)
Contagem (MG): Marília (PT) e Felipe Saliba (DEM)
Diadema (SP): Filippi (PT) e Taka Yamauchi (PSD)
Feira de Santana (BA): Zé Neto (PT) e Colbert Martins (MDB)
Franca (SP): Flávia Lancha (PSD) e Alexandre Ferreira (MDB)
Governador Valadares (MG): André Merlo (PSDB) e Dr Luciano (PSC)
Guarulhos (SP): Guti (PSD) e Elói Pietá (PT)
Joinville (SC): Darci de Matos (PSD) e Adriano Silva (Novo)
Juiz de Fora (MG): Margarida Salomão (PT) e Wilson Rezato (PSB)
Limeira (SP): Mario Botion (PSD) e Murilo Félix (Podemos)
Mauá (SP): Átila Jacomussi (PSB) e Marcelo Oliveira (PT)
Mogi das Cruzes (SP): Marcus Melo (PSDB) e Caio Cunha (Pode)
Paulista (PE): Yves Ribeiro (MDB) e Francisco Padilha (PSB)
Pelotas (RS): Paula Mascarenhas (PSDB) e Ivan Duarte (PT)
Petrópolis (RJ): Rubens Bomtempo (PSB) e Bernardo Rossi (PL)
Piracicaba (SP): Barjas Negri (PSDB) e Luciano Almeida (DEM)
Ponta Grossa (PR): Mabel Canto (PSC) e Professora Elizabeth (PSD)
Praia Grande (SP): Raquel Chini (PSDB) e Danilo Morgado (PSL)
Ribeirão Preto (SP): Duarte Nogueira (PSDB) e Suely Vilela (PSB)
Santa Maria (RS): Sergio Cecchim (PP) e Pozzobom (PSDB)
Santarém (PA): Nélio Aguiar (DEM) e Maria do Carmo (PT)
São Gonçalo (RJ): Dimas Gadelha (PT) e Capitão Nelson (Avante)
São João de Meriti (RJ): Dr João (DEM) e Leo Vieira (PSC)
São Vicente (SP): Solange Freitas (PSDB) e Kayo Amado (Pode)
Serra (ES): Sergio Vidigal (PDT) e Fabio Duarte (Rede)
Sorocaba (SP): Rodrigo Manga (Republicanos) e Jaqueline Coutinho (PSL)
Taboão da Serra (SP): Engenheiro Daniel (PSDB) e Aprigio (Pode)
Taubaté (SP): Saud (MDB) e Loreny (Cidadania)
Uberaba (MG): Elisa Araújo (Solidariedade) e Tony Carlos (PTB)
Vila Velha (ES): Arnadinho Borgo (Pode) e Max Filho (PSDB)
Vitória da Conquista (BA): Zé Raimundo (PT) e Herzem Gusmão (MDB)


Fonte: Agência Brasil
 
Foto: © Rovena Rosa/Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 29/11/2020 17h35

Bolsonaro ironiza atos por impeachment: 'vi carreata monstro de uns 10 carros'

Bolsonaro ironiza atos por impeachment: 'vi carreata monstro de uns 10 carros'

O presidente Jair Bolsonaro ironizou as manifestações que cobraram a saída dele do cargo nos últimos dias. Em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, o chefe do Planalto citou uma carreata em Campo Grande (MS). 'Eu vi uma carreta monstro, de uns 10 carros, contra mim', disse Bolsonaro quando um apoiador se identificou como morador de Campo Grande. (Foto: Reprodução/UOL) Leia mais
Postado em 25/01/2021 15h42

Médicos alertam para ineficácia de 'tratamento precoce' da Covid: 'Famílias inteiras morrendo'

Médicos alertam para ineficácia de 'tratamento precoce' da Covid: 'Famílias inteiras morrendo'

O médico Guilherme Lima, que atua no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Eduardo de Menezes, referência no atendimento de infectados em Belo Horizonte, contou que atendeu um paciente que, antes mesmo de apresentar sintomas da Covid-19, fazia uso de medicamentos como cloroquina, ivermectina e azitromicina, para o 'tratamento precoce' ao vírus.

'Tive oportunidades de cuidar de famílias inteiras que tiveram adoecidas que viajaram, se reuniram em festas, pessoas que argumentavam contra a prevenção que é realmente eficaz, como o distanciamento, uso de máscara, e argumentavam a favor do medicamento. Chegaram a falar, mesmo adoentadas, que não se cuidavam porque tomavam os remédios e que eles protegiam elas', contou.

Nesse caso específico, segundo o médico, o pai e filho morreram. Leia mais
Postado em 23/01/2021 19h15

Bolsonaro mais uma vez lança dúvida sobre o benefício da vacina

Bolsonaro mais uma vez lança dúvida sobre o benefício da vacina

O presidente Bolsonaro voltou nesta sexta-feira (22) a tentar sabotar a confiança da população nas vacinas contra a Covid-19.

“O que eu tenho observado é que ainda tem muita gente que tem preocupação com a vacina. E deixo bem claro: ela é emergencial”, disse o presidente, em conversa na saída do Palácio da Alvorada. Leia mais
Postado em 23/01/2021 18h10

Crise em Manaus: PGR pede ao STF abertura de inquérito para apurar conduta de Pazuello

Crise em Manaus: PGR pede ao STF abertura de inquérito para apurar conduta de Pazuello

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu neste sábado (23) ao Supremo Tribunal Federal (STF) abertura de inquérito para apurar a conduta do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre o enfrentamento da pandemia em Manaus (AM), que registrou falta de oxigênio medicinal em hospitais na semana passada. (Foto: GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO) Leia mais
Postado em 23/01/2021 17h43

Bolsonaro contribui mais uma vez para desacreditar vacina

Bolsonaro contribui mais uma vez para desacreditar vacina

O presidente Bolsonaro voltou nesta sexta-feira (22) a tentar sabotar a confiança da população nas vacinas contra a Covid-19.

“O que eu tenho observado é que ainda tem muita gente que tem preocupação com a vacina. E deixo bem claro: ela é emergencial”, disse o presidente, em conversa na saída do Palácio da Alvorada. Leia mais
Postado em 23/01/2021 17h01

BH terá carreata pelo impeachment de Bolsonaro neste sábado

BH terá carreata pelo impeachment de Bolsonaro neste sábado

Movimentos sociais e lideranças cívicas planejam uma carreata em apoio ao impeachment do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) para este sábado (23/01), em Belo Horizonte e em cidades no interior de Minas, além de outras pelo país. A manifestação tem a intenção de pressionar o Congresso Nacional a dar andamento aos pedidos de processo de destituição do chefe do Executivo federal. Leia mais
Postado em 23/01/2021 11h47

Huck tem data para sair da Globo e começar campanha, diz revista

Huck tem data para sair da Globo e começar campanha, diz revista

Luciano Huck, apresentador da TV Globo, já tem data para deixar a emissora e iniciar campanha presidencial para 2022. Segundo a coluna Radar, da revista Veja, ele deve anunciar a saída da TV no meio deste ano. (Foto: Reprodução/Twitter/Estado de Minas) Leia mais
Postado em 23/01/2021 11h06

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, assinou ontem (21) uma resolução suspendendo as consequências legais para quem não votou nas eleições municipais de 2020 e não justificou ou pagou a multa.

Entre suas justificativas, a medida considera “que a persistência e o agravamento da pandemia da Covid-19 no país impõem aos eleitores que não compareceram à votação nas Eleições 2020, sobretudo àqueles em situação de maior vulnerabilidade, obstáculos para realizarem a justificativa eleitoral”.

O texto da resolução sobre o assunto considera ainda a “dificuldade de obtenção de documentação comprobatória do impedimento para votar no caso de ausência às urnas por sintomas da covid-19”.


A norma não estipula prazo para a suspensão das sanções para quem não votou e não justificou ou pagou multa. A medida ficará vigente ao menos até que o plenário do TSE vote se aprova ou não a resolução assinada por Barroso. Isso não deve acontecer antes de fevereiro, devido ao recesso forense.

A resolução destaca que não se trata de uma anistia para quem não votou, pois tal providência somente poderia ser tomada pelo Congresso Nacional, frisa o texto da norma.

O prazo para justificar ausência no primeiro turno encerrou-se em 14 de janeiro. O limite para justificar a falta no segundo turno é 28 de janeiro. Ambas as datas marcam os 60 dias após as votações, que ocorreram em 15 e 29 de novembro.

Pela Constituição, o voto é obrigatório para todos os alfabetizados entre 18 e 70 anos. Em decorrência disso, o artigo 7º do Código Eleitoral prevê uma série de restrições para quem não justificar a ausência na votação ou pagar a multa. Enquanto não regularizar a situação, o eleitor não pode:

– inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se neles;

– receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição;

– participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal ou dos municípios, ou das respectivas autarquias;

– obter empréstimos nas autarquias, sociedades de economia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe, e com essas entidades celebrar contratos;

– obter passaporte ou carteira de identidade;

– renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;

– praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda.

Fonte: Agência Brasil
 
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 22/01/2021 11h56

90% das maiores cidades que receberam “kit Covid” tiveram taxa de mortalidade mais alta

90% das maiores cidades que receberam “kit Covid” tiveram taxa de mortalidade mais alta

Dos dez municípios com mais de 100 mil habitantes que distribuíram um “kit Covid” com medicamentos sem eficácia comprovada para tratamento precoce contra o novo coronavírus, nove tiveram uma taxa de mortalidade mais alta que a média estadual. O uso dos medicamentos hidroxicloroquina e ivermectina contra a Covid-19 é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo Ministério da Saúde. Leia mais
Postado em 22/01/2021 02h35

Eduardo Bolsonaro é condenado a pagar R$ 30 mil a jornalista

Eduardo Bolsonaro é condenado a pagar R$ 30 mil a jornalista

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi condenado a pagar indenização por dano moral no valor de R$30 mil à jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S.Paulo. A ação foi ajuizada em 12 de junho de 2020 e a sentença foi publicada nesta quinta-feira (21/01). O deputado ainda pode recorrer da decisão. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Estado de Minas) Leia mais
Postado em 21/01/2021 15h24
Saúde
Ciência