F11 Política

Política

TSE anuncia que 364 mil eleitores justificaram ausência via e-Título

TSE anuncia que 364 mil eleitores justificaram ausência via e-Título
Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que, no período entre 7h e 10h de hoje (29), 364.414 eleitores justificaram ausência às urnas usando o aplicativo e-Título nas 57 cidades onde há segundo turno.

Segundo a Justiça Eleitoral, o aplicativo tem funcionado “adequadamente e sem instabilidade”, diferentemente do primeiro turno, em 15 de novembro, quando o e-Título apresentou falhas, impedindo muitos eleitores de justificar ausência através da ferramenta digital.

Neste segundo turno, só consegue utilizar o e-Título quem baixou o aplicativo e se cadastrou até as 23h59 de sábado (28). A medida foi tomada para evitar a mesma sobrecarga que provocou instabilidade no sistema da Justiça Eleitoral no primeiro turno.

A justificativa pelo aplicativo no dia da eleição dispensa comprovação documental, pois o e-Título se vale do georreferenciamento presente nos celulares para certificar a ausência do eleitor.

Também é possível justificar a ausência pelo app [aplicativo] depois da votação, num prazo de 60 dias, mas nesse caso a Justiça Eleitoral pede que seja anexado algum tipo de comprovação, como uma passagem ou uma reserva de hotel, por exemplo.

Além do aplicativo, a partir de amanhã (30), pelo mesmo prazo de 60 dias, o eleitor pode também justificar sua ausência presencialmente ou na internet, por meio do portal Justifica, do TSE.

Cada turno de votação é contabilizado como uma eleição independente pelo TSE. Caso o eleitor não justifique por três eleições seguidas, pode ficar sujeito a sanções, tendo o título de eleitor cancelado e sendo impedido, por exemplo, de fazer empréstimos em bancos públicos ou emitir documento oficial, entre outras restrições.


Fonte: Agência Brasil
 
Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 29/11/2020 11h45

Venezuela doou oxigênio para Manaus, ao contrário do que afirmam postagens no Facebook

Venezuela doou oxigênio para Manaus, ao contrário do que afirmam postagens no Facebook

São falsas as publicações no Facebook que afirmam que a Venezuela não doou oxigênio hospitalar a Manaus. As postagens alegam que a empresa White Martins seria a verdadeira responsável pelo envio do insumo ao Amazonas. Isso não é verdade: o governo do estado venezuelano de Bolívar mandou um carregamento de 107 mil m3 de oxigênio a Manaus, como confirmou o governo amazonense. Os caminhões atravessaram a fronteira com o Brasil nesta segunda-feira, 18. Leia mais
Postado em 20/01/2021 13h24

Venezuela doou oxigênio para Manaus, ao contrário do que afirmam postagens no Facebook

Venezuela doou oxigênio para Manaus, ao contrário do que afirmam postagens no Facebook

São falsas as publicações no Facebook que afirmam que a Venezuela não doou oxigênio hospitalar a Manaus. As postagens alegam que a empresa White Martins seria a verdadeira responsável pelo envio do insumo ao Amazonas. Isso não é verdade: o governo do estado venezuelano de Bolívar mandou um carregamento de 107 mil m3 de oxigênio a Manaus, como confirmou o governo amazonense. Os caminhões atravessaram a fronteira com o Brasil nesta segunda-feira, 18. Leia mais
Postado em 20/01/2021 13h03

Com a posse de Joe Biden, cresce a pressão pela demissão de Ernesto Araújo

Com a posse de Joe Biden, cresce a pressão pela demissão de Ernesto Araújo

Com a posse do democrata Joe Biden, nesta quarta-feira (20/01), nos Estados Unidos, crescem as pressões em parte da base do governo para que Bolsonaro troque o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. (Foto: MANDEL MGAN/AFP) Leia mais
Postado em 20/01/2021 12h23

Maia prevê abertura de CPI para investigar omissão do governo Bolsonaro

Maia prevê abertura de CPI para investigar omissão do governo Bolsonaro

A duas semanas de deixar a presidência da Câmara, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que será inevitável que o Congresso crie uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar as mortes e a falta de planejamento do governo federal durante a pandemia do novo coronavírus. (Foto: GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO) Leia mais
Postado em 19/01/2021 14h13

Bolsonaro sobre governo: 'Não posso dizer que sou um excelente presidente'

Bolsonaro sobre governo: 'Não posso dizer que sou um excelente presidente'

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) parou em frente ao Palácio da Alvorada na manhã desta terça-feira (19/01) para cumprimentar seus apoiadores e em um trecho da conversa, afirmou que não pode se considerar um “excelente presidente”. (Foto: Reprodução redes sociais/Estado de Minas) Leia mais
Postado em 19/01/2021 13h18

Ataques de Araújo à China agora atrapalham negociação por vacina

Ataques de Araújo à China agora atrapalham negociação por vacina

O governo Bolsonaro está às voltas desde esta segunda (19) com a falta de informação da China a respeito do prazo para envio do IFA, o princípio ativo da vacina do Instituto Butantan, fabricada em parceria com a chinesa Sinovac. O temor é que, sem o insumo, as doses de Coronavac acabem no final de janeiro, quando termina o estoque disponível. (Foto: Reprodução/G1) Leia mais
Postado em 19/01/2021 12h35

STF contesta Bolsonaro e diz em nota que nunca proibiu governo federal de atuar contra pandemia

STF contesta Bolsonaro e diz em nota que nunca proibiu governo federal de atuar contra pandemia

O Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou nota nesta segunda-feira (18) para esclarecer que a Corte nunca proibiu o governo federal de estabelecer medidas de combate ao coronavírus.

No texto, o STF informa que 'não é verdadeira a afirmação que circula em redes sociais' nesse sentido. Apoiadores do governo, além do próprio presidente Jair Bolsonaro, vêm fazendo afirmações do tipo para rebater cobranças sobre a atuação da União no combate à pandemia.

'Na verdade, o Plenário decidiu, no início da pandemia, em 2020, que União, estados, Distrito Federal e municípios têm competência concorrente na área da saúde pública para realizar ações de mitigação dos impactos do novo coronavírus. Leia mais
Postado em 19/01/2021 01h59

Presidente patrocina um perigoso projeto de autonomia às polícias militares e avança no estímulo aos fardados. O objetivo é se eternizar no poder

Presidente patrocina um perigoso projeto de autonomia às polícias militares e avança no estímulo aos fardados. O objetivo é se eternizar no poder

Muitos se surpreenderam com a audácia do presidente Donald Trump ao tentar minar a democracia americana. Mas, atualmente, as cenas de uma “república de bananas” não são privilégio dos EUA. O mesmo processo já está em curso no Brasil, e de forma muito mais ameaçadora. Jair Bolsonaro, o único líder entre as grandes nações a apoiar o golpismo de Trump, avança passo a passo para fortalecer seu projeto autoritário de poder. Agora, deputados bolsonaristas, agindo em coordenação com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, de André Mendonça, pretendem aprovar no Congresso duas leis que reorganizam as forças policiais, dando autonomia às PMs e tirando poder dos governadores estaduais.

Não se trata de um projeto de Segurança Pública. Esse enorme retrocesso é mais um passo do presidente, talvez o mais ousado até o momento, visando a cooptação dos militares e das forças policiais. Leia mais
Postado em 19/01/2021 00h35

Forças Armadas é que decidem se 'povo vai viver numa democracia ou numa ditadura', diz Bolsonaro

Forças Armadas é que decidem se 'povo vai viver numa democracia ou numa ditadura', diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (18) que 'quem decide se um povo vai viver numa democracia ou numa ditadura são as suas Forças Armadas'.

De acordo com Bolsonaro, no Brasil 'temos liberdade ainda', mas 'tudo pode mudar' se homens e mulheres que compõem as Forças Armadas brasileiras não tiverem seu valor reconhecido. Leia mais
Postado em 18/01/2021 18h17

Após dizer que não compraria, Bolsonaro afirma que vacina 'é do Brasil, não é de nenhum governador'

Após dizer que não compraria, Bolsonaro afirma que vacina 'é do Brasil, não é de nenhum governador'

Em sua primeira manifestação pública após a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de aprovar o uso emergencial de duas vacinas (CoronaVac e de Oxford) contra a Covid-19 no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o imunizante 'é do Brasil, não é de nenhum governador não.' (Foto: Reprodução/G1) Leia mais
Postado em 18/01/2021 14h28
Saúde
Ciência