F11 Política

Política

CCJ do Senado decide sustar decreto que flexibiliza porte de armas


Depois de uma discussão acalorada nesta quarta-feira (12), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado decidiu rejeitar, por 15 votos a nove, o relatório do senador Marcos do Val (Cidadania-ES) que derrubava sete Projetos de Decreto Legislativo que pretendem sustar os efeitos do Decreto 9.797/2019, editado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) que flexibiliza o acesso da população à armas.

Com a decisão da CCJ hoje, a palavra final sobre o assunto será dada pelo plenário da Casa, para onde a matéria segue com pedido de urgência na tramitação. Nesse caso, o resultado da comissão serve apenas para instruir a discussão com os 81 senadores.

Durante a discussão na CCJ, quatro votos em separado que, na prática, são alternativas ao relatório principal foram apresentados, desses três – apresentados pelos senadores Raldolfe Rodrigues contrários à medida tomada por Bolsonaro e um, apresentado pelo senador Marcos Rogério (DEM-RO), a favor do decreto presidencial.

Contra

Ainda na CCJ o senador Fabiano Contrato (Rede-ES) acusou o decreto de ferir a Constituição Federal e o Estatuto do Desarmamento. "Um decreto presidencial não pode violar uma lei federal. Trata-se de uma ação populista, imediatista, que transfere a responsabilidade do poder executivo de pacificação armando a população", afirmou.

Também contra a norma, a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) avaliou que a medida não cumpre a lei. “O Estatuto do Desarmamento reduziu o número de homicídios. E o decreto muda a espinha dorsal do desarmamento. No país, em 30% dos latrocínios, as vítimas são profissionais de segurança que tentaram reagir. Nos Estados Unidos, de 100 que matam, 60 vão pra cadeia. No Brasil, cinco. Não temos como comparar. A arma é indicativo forte para termos mais violência. O Brasil mata mais que a Síria. Mais armas na mão de brasileiros será mecanismo fácil para mais armas nas mão de bandidos", defendeu.

Favorável

A favor do decreto presidencial, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) lembrou o referendo de 2005, no qual 63% dos brasileiros votaram a favor do comércio de armas de fogo. "Parece que estamos em um paraíso de segurança pública. Os governos desrespeitaram as urnas do referendo e impediram cidadãos de ter acesso a armas de fogo".

"Hoje, vai cair o decreto e vai ser festa na quebrada, nas facções. Só vai piorar para o cidadão. Parabéns, quem está ganhando com isso é o mundo do crime", criticou o líder do PSL, senador Major Olímpio (SP).

Cenários

Caso a decisão da CCJ seja confirmada no plenário do Senado, por maioria simples, a proposta segue para a Câmara, onde será definido se passa por alguma comissão temática, como a CCJ, por exemplo, ou se vai direto a plenário.

Caso o decreto legislativo também seja aprovado pelos deputados, o decreto editado por Bolsonaro perde o efeito imediatamente. Nesse caso, o novo texto deverá prever o que acontece com os que adquiriram armas respaldadas pelo decreto presidencial.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 12/06/2019 16h01

Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio Bolsonaro, diz líder do partido

Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio Bolsonaro, diz líder do partido

Líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP) defendeu que o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente da República, saia do partido. Flávio é contra a CPI da Lava Toga.

O movimento para barrar a comissão levou a senadora Selma Arruda (MT) a anunciar que irá trocar o PSL pelo Podemos Leia mais

Postado em 16/09/2019 23h16

Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio Bolsonaro, diz líder do partido... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/09/16/quem-tem-cair-fora-do-psl-e-o-flavio-bolsonaro-diz-lider-do-partido.htm?cmpid=copiaecola

Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio Bolsonaro, diz líder do partido... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2019/09/16/quem-tem-cair-fora-do-psl-e-o-flavio-bolsonaro-diz-lider-do-partido.htm?cmpid=copiaecola

Líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP) defendeu que o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente da República, saia do partido. Flávio é contra a CPI da Lava Toga.

O movimento para barrar a comissão levou a senadora Selma Arruda (MT) a anunciar que irá trocar o PSL pelo Podemos Leia mais

Postado em 16/09/2019 23h16

Bolsonaro deixa hospital em São Paulo e volta para Brasília

Bolsonaro deixa hospital em São Paulo e volta para Brasília

O presidente da República Jair Bolsonaro deixou o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, às 15h de hoje (16), após dez dias de internação. A comitiva de Bolsonaro saiu do hospital com destino ao aeroporto de Congonhas, de onde embarca para Brasília.

Bolsonaro saiu sem falar com jornalistas e populares que aguardavam do lado de fora e assistiram à saída dos carros da comitiva. O tráfego na rua do hospital foi interrompido para a passagem do comboio.

Cirurgia

Bolsonaro foi admitido no hospital em São Paulo no dia 7 de setembro e a cirurgia de correção de uma hérnia incisional ocorreu no dia seguinte (8). Esta é a quarta vez que Bolsonaro se submete a uma cirurgia, desde que sofreu um atentando à faca, no dia 6 de setembro do ano passado, em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral.

Em Brasília, ele continuará o processo de recuperação, seguindo as orientações médicas relacionadas a dieta e atividade física.

Ainda por orientação médica, ele ficará afastado da presidência até quarta-feira, que será assumida nesse período pelo vice-presidente Hamilton Mourão.

O cirurgião-chefe do hospital Antônio Luiz Macedo disse que foi retirada a nutrição parenteral (endovenosa) do presidente hoje pela manhã, mas que ele continuará com a dieta cremosa em Brasília pelo menos até sexta-feira, quando a equipe médica deverá viajar para a capital para avaliar se Bolsonaro já poderá passar para a dieta pastosa. A expectativa do médico é de que o presidente possa voltar a se alimentar normalmente a partir de segunda ou terça que vem.

De acordo com Macedo, os exames médicos do presidente estão normais e o quadro dele “é muito bom”.


Fonte: Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 16/09/2019 15h34

Bolsonaro receberá alta à tarde e retorna a Brasília ainda hoje

Bolsonaro receberá alta à tarde e retorna a Brasília ainda hoje

O presidente da República, Jair Bolsonaro, receberá alta médica ainda hoje (16) informou o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. A alta será dada à tarde, após uma sessão de fisioterapia. Segundo o porta-voz da presidência da República, Otávio Rêgo Barros, o presidente viaja ainda hoje para Brasília.



Bolsonaro está internado em São Paulo desde o dia 7 de setembro. Ele se recupera de uma cirurgia feita em razão da facada levada durante a campanha para as eleições presidenciais de 2018. Em Brasília, ele continuará seu processo de recuperação, seguindo as orientações médicas relacionadas à dieta e à atividade física. Segundo o diretor me?dico do Hospital Vila Nova Star, Anto?nio Antonietto, Bolsonaro deve manter a dieta cremosa - composta de alimentos triturados até que se forme um creme e é anterior à fase pastosa.

Segundo o cirurgião-chefe Antônio Luiz Macedo, hoje pela manhã foi retirada a nutrição parenteral (endovenosa), mas Bolsonaro continua com a dieta cremosa porque ele ainda mantém um pouco de gás no intestino delgado. Essa dieta será mantida pelo presidente em Brasília pelo menos até sexta-feira, quando a equipe médica deverá viajar para Brasília para avaliar se Bolsonaro já poderá passar para a dieta pastosa. A expectativa do médico é de que o presidente possa voltar a se alimentar normalmente a partir de segunda ou terça que vem.

De acordo com Macedo, os exames médicos do presidente estão normais e o quadro dele “é muito bom”. Ontem, Bolsonaro fez uma caminhada de cerca de 3km, indo e voltando pelo oitavo andar do hospital.

Segundo o médico, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e o filho Carlos Bolsonaro acompanham o presidente no hospital no dia de hoje.

Atividades de governo

Por orientação médica, Bolsonaro ficará afastado até quarta-feira da Presidência, assumida interinamente nesse período pelo vice-presidente, Hamilton Mourão. “Isso vai permitir ao senhor presidente um descanso ainda maior para uma recuperação mais rápida”, disse o porta-voz.

Segundo o porta-voz, a viagem de Bolsonaro para participar da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, será mantida. “A viagem estava prevista inicialmente para o dia 22, mas vamos dia 23 [para Nova York].", afirmou Rêgo Barros. O porta-voz afirmou que o presidente terá eventos privados no dia em que chegar aos Estados Unidos. "No dia 24, ele tem reunião com o secretário-geral das Nações Unidas. Depois fará seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas. Depois nos deslocaremos, a confirmar, para o Texas, onde vamos ter reunião com industriais e empresários e oficiais das Forças Armadas Americanas. Do Texas retornamos para o Brasil”, disse.

De acordo com ele, a viagem foi encurtada por recomendação médica. “Naturalmente o presidente entendeu que não deve expor-se, nesse momento, a viagens um tanto quanto cansativas, embora reconheça a importância dessa viagem para a configuração, perante o mundo, da soberania do Brasil e da importância que damos à Amazônia e tantos outros temas que vicejam e que, equivocadamente, são compartilhados em particular pela imprensa estrangeira”.

O porta-voz disse ainda que segue mantida a viagem de Bolsonaro para a Ásia, o que deve ocorrer no final de outubro.


Fonte: Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 16/09/2019 12h16

Bolsonaro continua ingerindo dieta pastosa, diz boletim médico

Bolsonaro continua ingerindo dieta pastosa, diz boletim médico

O presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, internado no Hospital Vila Nova Star, na capital paulista, continua ingerindo comida cremosa com boa aceitação. Segundo o boletim médico divulgado na manhã de hoje (15), ainda neste domingo será iniciada a redução do volume da alimentação parenteral (endovenosa).

O boletim informa ainda que o presidente está sem febre e sem dor, com melhoria progressiva do quadro geral e dos movimentos intestinais. Bolsonaro continua fazendo fisioterapia respiratória, motora e caminhando
frequentemente pelo corredor.

Segundo o porta-voz da Presidência, Otavio Rêgo Barros, as visitas seguem restritas e não há previsão de visitas para hoje. A primeira-dama Michelle Bolsonaro e o filho do presidente, o vereador pelo Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, acompanham o presidente.

O presidente Bolsonaro tomou chá, comeu gelatina e creme de frutas no café da manhã.

De acordo com Rêgo Barros, o estado de ânimo do presidente é excelente, o que vem sendo comprovado pela equipe médica a cada visita. Entretanto, ainda não há data prevista para alta.

"A previsão de alta estará associada ao quadro clínico que vem evoluindo muito bem, então há expectativa. Não gostaria de adiantar uma data mas estamos esperançosos que seja num prazo curto. A dieta pastosa pode ser um parâmetro para a alta", disse Rêgo Barros.

Bolsonaro está internado desde o dia 7, para a realização de sua quarta cirurgia após ter levado uma facada durante um ato da campanha para a eleição presidencial no dia 7 de setembro do ano passado.

Ele é acompanhado pela equipe composta pelo cirurgião-chefe Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo, pelo clínico e cardiologista Leandro Echenique, pelo diretor médico do Hospital Vila Nova Star Antônio Antonietto e pelo médico da Presidência da República, Ricardo Peixoto Camarinha.

Rêgo Barros disse que há possibilidade de o Dr. Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo se deslocar para Brasília para uma avaliação do presidente antes de sua viagem para os EUA, quando deve participar da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.


Fonte: Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 15/09/2019 12h34

Coaf aponta movimentação atípica de R$ 2,5 milhões na conta de David Miranda, deputado casado com o jornalista Glenn Greenwald, do ‘The Intercept’

Coaf aponta movimentação atípica de R$ 2,5 milhões na conta de David Miranda, deputado casado com o jornalista Glenn Greenwald, do ‘The Intercept’

O Ministério Público do Rio (MP-RJ) recebeu do antigo Conselho de Controle das Atividades Financeiras (Coaf) um relatório que aponta “movimentação atípica” de R$ 2,5 milhões na conta do deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) no período de um ano, entre o início de abril de 2018 e o final de março de 2019.

O MP chegou a solicitar à Justiça a quebra dos sigilos bancário e fiscal do parlamentar, mas o juiz Marcelo da Silva, da 16ª Vara de Fazenda Pública do Rio, negou o pedido. Na decisão, ele determina que, antes de adotar alguma medida nesse sentido, o deputado do PSOL e os demais envolvidos nas suspeitas – quatro assessores e ex-assessores – sejam ouvidos. Leia mais

Postado em 15/09/2019 03h07

Médico de Bolsonaro fará esta noite avaliação da alimentação

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, informou que na noite de hoje (14) o cirurgião-chefe responsável pelo procedimento ao qual o presidente Jair Bolsonaro foi submetido, Antônio Luiz Macedo, deve avaliar novamente a alimentação do presidente. Atualmente, Bolsonaro está recebendo uma dieta líquida, essencialmente de chás e água, complementada pela alimentação endovenosa (pelas veias). Mais cedo, Macedo disse que espera o momento apropriado para passar a uma dieta cremosa, com alimentos um pouco mais consistentes, evitando sobrecarregar o intestino.

O presidente chegou a receber dieta líquida a partir de segunda-feira (9), um dia após a cirurgia para tratamento de uma hérnia no abdômen, formada em consequência das outras cirurgias que fez após a facada recebida em setembro do ano passado, durante a campanha eleitoral. A alimentação oral, no entanto, foi suspensa na quarta-feira (11).



Foi introduzida ainda uma sonda nasogástrica para retirar o excesso de gás e líquido. O equipamento foi retirado na manhã de sexta-feira (13), quando também foi retomada gradualmente a ingestão de líquidos.

Visita

O presidente Jair Bolsonaro recebeu hoje (14) visita da família enquanto se recupera de uma cirurgia realizada no último domingo (8), no Hospital Vila Nova Star. Segundo o porta-voz da Presidência, Rêgo Barros, estiveram com o presidente a sua irmã, o cunhado e sobrinhos.

De acordo com o porta-voz, Bolsonaro tem seguido estritamente as recomendações médicas e usado “muito pouco” o celular, tanto para se informar, quanto para se comunicar. Ele está acompanhado pela esposa, Michele, e pelo filho Carlos, vereador da cidade do Rio de Janeiro pelo PSC. Não está agendado nenhum encontro com autoridades.

Recuperação lenta

Macedo explicou que o presidente tem como característica a demora para retomar as funções intestinais. O médico explicou que no processo de recuperação das duas outras vezes em que o operou, em setembro de 2018 e em janeiro deste ano, o intestino de Bolsonaro só voltou a funcionar em um processo lento. “É sempre um retorno lento. Mas quando retorna, vai rápido”, enfatizou ao comentar o estado de saúde do presidente.

Essa característica também está presente neste pós-operatório, segundo Macedo, apesar das condições favoráveis para a recuperação. “Ele está evoluindo bem, mas existe certa dificuldade no retorno intestinal”, acrescentou.

Com o atraso na recuperação, na quinta-feira (12) foi estendido o prazo de afastamento de Bolsonaro da Presidência por quatro dias, por decisão da equipe médica. O vice-presidente, Hamilton Mourão, segue no exercício da Presidência nesse período.

Esta é a quarta cirurgia a que o presidente se submete desde o ataque sofrido em setembro do ano passado.


Fonte: Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 14/09/2019 17h26

Bolsonaro tem melhora clínica progressiva e continua com dieta líquida

Bolsonaro tem melhora clínica progressiva e continua com dieta líquida

O presidente Jair Bolsonaro continua hoje (14) recebendo dieta líquida, complementada pela alimentação endovenosa (pelas veias). Segundo o boletim médico divulgado neste sábado pelo Hospital Vila Nova Star, ele apresentou “melhora clínica progressiva” e não teve dor ou febre. As visitas ainda estão restritas.

Recuperação lenta

De acordo com o cirurgião Antônio Luiz Macedo, responsável pelo procedimento ao qual Bolsonaro foi submetido no domingo passado (8), o presidente tem como característica a demora para retomar as funções intestinais. O médico explicou que no processo de recuperação das duas outras vezes em que o operou, em setembro de 2018 e em janeiro deste ano, o intestino de Bolsonaro só voltou a funcionar em um processo lento. “É sempre um retorno lento. Mas quando retorna, vai rápido”, enfatizou ao comentar o estado de saúde do presidente.

Essa característica também está presente neste pós-operatório, segundo Macedo, apesar das condições favoráveis para a recuperação. “Ele está evoluindo bem, mas existe certa dificuldade no retorno intestinal”, acrescentou.

O presidente chegou a receber dieta líquida a partir de segunda-feira (9), um dia após a cirurgia para a correção de uma hérnia no abdômen, em consequência das outras cirurgias que fez após a facada recebida em setembro do ano passado, durante a campanha eleitoral. A alimentação oral, no entanto, foi suspensa na quarta-feira (11).

Foi introduzida ainda uma sonda nasogástrica para retirar o excesso de gás e líquido. O equipamento foi retirado na manhã de sexta-feira (13), quando também foi retomada gradualmente a ingestão de líquidos.

Com o atraso na recuperação, na quinta-feira (12) foi estendido o prazo de afastamento de Bolsonaro da Presidência por quatro dias, por decisão da equipe médica. O vice-presidente, Hamilton Mourão, segue no exercício da Presidência por este novo período.

A partir de hoje, Bolsonaro pode receber, de acordo com o médico, alimentos líquidos sem restrição. Macedo disse, entretanto, que vai aguardar o melhor momento para passar a uma dieta cremosa, com alimentos um pouco mais consistentes, evitando sobrecarregar o intestino.

Esta é a quarta cirurgia a que o presidente se submete desde o ataque sofrido em setembro do ano passado.


Fonte: Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 14/09/2019 12h20

Terceiro show do “Festival de Bandas Novas” tem seis grupos na Praça Antônio Carlos

Terceiro show do “Festival de Bandas Novas” tem seis grupos na Praça Antônio Carlos

O terceiro show da 21ª edição do “Festival de Bandas Novas” reunirá seis grupos de rock, trash e heavy metal e indie na Praça Antônio Carlos (Avenida Getúlio Vargas, Centro) neste sábado, 14. As apresentações começarão às 16 horas, sendo gratuitas e livres para todos os públicos. Produzido pelo músico Adriano Polisseni, líder do grupo Patrulha66, o festival acontece desde 1999, e tem apoio da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), por meio da Fundação Cultural “Alfredo Ferreira Lage” (Funalfa).

Originalmente, o objetivo do evento era abrir espaço para as bandas iniciantes mostrarem seu trabalho. Atualmente, a proposta é promover divulgação, formação e troca de conhecimentos entre diferentes gerações de músicos.

Em duas décadas, mais de 900 grupos de rock, metal, punk rock, hardcore, hard rock, grunge, blues e progressivo, de diversos municípios, participaram do “Festival de Bandas Novas”. O último show da edição 2019 está programado para o dia 21.

Confira a sequência se shows deste sábado:

- Banda Ghoró - Com a maioria das músicas autorais, o grupo segue no ritmo do hardcore e tem influências das bandas Ratos de Porão, D.F.C, Gritando HC e Raimundos. Está no cenário underground desde 2017, formada por Bernardo Alvarenga (vocal), Cássio Arbex (guitarra), Douglas Falci (baixo) e Evandro Alves (bateria).

- Som na Véia - Formada em Juiz de Fora, no começo de 2017. Tem como objetivo resgatar o “bom e velho” rock in`roll. Na formação: Humberto Simplicio (baixo), Fabiano Goulart (guitarra), Alex Fabiany (vocal), Germano Coelho (guitarra) e Cassio Viana (bateria).

- Conde Alpino - Banda de indie rock, cujo repertório inclui músicas autorais e covers, desde sucessos do rock clássico internacional até hits do mundo indie e bastante Arctic Monkeys, para quem gosta dos britânicos. É formada por Marco Zambelli (guitarra), Gustavo Luz (vocal e guitarra), Augusto Vargas (baixo) e Tiago Gasparetto (bateria).

- Prowl Animals - Banda de metal com influências no groove metal, new metal e death metal, com quatro meses de formação. Depois de passagens por diversos grupos, os integrantes se juntaram para fazer som pesado, coeso e com bastante groove. Formada por Wilker Grizende (bateria), Vanderson Loures (baixo), Ângelo Lopes (guitarra) e Rony Medeiros (vocal).

- Stonehenge - Banda de heavy metal de Juiz de Foral, focada em tributo a Black Sabbath. Tem 12 anos de estrada e é formada por Lailah Garbero (vocal), Pedro Emílio (guitarra), Bernardo Ferraro (baixo) e Diogo Redondo (bateria).

- Insannica - Banda de trash metal que surgiu no final de 2010. Agrega influências de outros estilos, buscando sonoridade singular e livre de rótulos. Já se apresentou ao lado de bandas como Sepultura, Project46, Krisiun, Pain of Salvation, Dead Fish, Noturnall, Matanza, Tuatha de Danan, Nervosa, Hatefulmurder, etc. A formação atual tem Carlos Teodósio (vocais), Lucas Saab (guitarra), Lincoln Brian (guitarra), Bernardo Assis (baixo) e Felipe Terrana (bateria).

Fonte: PJF

Leia Mais

Postado em 13/09/2019 15h24

Bolsonaro retira sonda nasogástrica e recomeça dieta líquida

Bolsonaro retira sonda nasogástrica e recomeça dieta líquida

A equipe médica que acompanha o presidente Jair Bolsonaro retirou na manhã de hoje (13) a sonda nasogástrica colocada na quarta-feira (11). O tubo entrava pelo nariz e ia até o sistema digestivo para retirar o excesso de gás e líquido. “Nós pudemos tirar a sonda gástrica porque a drenagem dela foi bem reduzida. Ele começou a ter função intestinal”, destacou o cirurgião-chefe da equipe que acompanha o presidente, Antônio Luiz Macedo.

Com a resposta do intestino, voltou a ser administrada, gradualmente, a dieta líquida. A cada hora, o presidente recebe 50 mililitros de água e outros líquidos, avaliando as reações a esses alimentos. “Eu acabei de tirar a sonda, fica perigoso aumentar rapidamente a ingestão líquida sem a gente saber como o intestino está reagindo”, explicou Macedo. Por isso, foi mantida simultaneamente a alimentação endovenosa (pelas veias), complementando a quantidade necessária de nutrientes.

Segundo o boletim médico divulgado hoje pelo Hospital Vila Nova Star, onde o presidente está internado desde o fim de semana, Bolsonaro teve “melhora acentuada dos movimentos intestinais”. Ainda segundo o comunicado do hospital, localizado na zona sul paulistana, o presidente não tem febre ou dor. Ele continua fazendo fisioterapia respiratória e motora e caminhando pelos corredores da instituição. Essa é a quarta cirurgia pela qual Bolsonaro passou desde que foi esfaqueado em um ato de campanha eleitoral em setembro de 2018.

Previsão de alta

A previsão do médico é que Bolsonaro possa ter alta em três ou quatro dias, a depender da evolução do quadro de saúde. Para isso, o intestino do presidente precisa ser capaz de suportar ao menos a dieta cremosa ou pastosa, com alimentos mais consistentes e que fornecem a quantidade de calores necessárias para as atividades cotidianas.

Ontem (12), foi estendido o prazo de afastamento de Bolsonaro da Presidência por quatro dias a partir de uma decisão da equipe médica. A previsão inicial era de que ele reassumisse o cargo hoje (13). No entanto, a recuperação sofreu uma “intercorrência” na quarta-feira, quando foi introduzida a sonda nasogástrica.

Desde a segunda-feira (9), Bolsonaro recebia a dieta líquida. Porém, devido ao trauma e à presença de gases, o intestino do presidente deixou de funcionar adequadamente, levando à necessidade de que a alimentação voltasse a ser feita de forma endovenosa. Assim, o vice-presidente, Hamilton Mourão, segue no exercício da Presidência por este novo período.

Apesar dessa alteração, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros afirmou que está mantida a viagem de Bolsonaro para a abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). “O planejamento permanece. Nós iremos a Nova York no dia 22 e o presidente discursará, no dia 24, na assembleia das Nações Unidas”, informou.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais

Postado em 13/09/2019 12h06