Postado em 06/06/2018

Justiça rejeita recurso que poderia anular julgamento e dar liberdade ao goleiro Bruno

Os embargos apresentados pela defesa do goleiro foram negados por 4 votos a 1.

Justiça rejeita recurso que poderia anular julgamento e dar liberdade ao goleiro Bruno

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) manteve a condenação de Bruno Fernandes no processo pela morte de Eliza Samudio em julgamento nesta quarta-feira, em Belo Horizonte. Os embargos apresentados pela defesa do goleiro foram negados por 4 votos a 1.

A defesa de Bruno pedia a anulação do julgamento do goleiro questionando a validade da certidão de óbito de Eliza. Desde 2013, a defesa do goleiro alega que a competência para emissão do documento era da comarca de Vespasiano, onde foi registrado o desaparecimento e, portanto, a certidão não poderia ser usada como prova.

Fernanda Castro, que era namorada de Bruno, também entrou embargos, mas a situaçã foi a mesma, negados.

Bruno Fernandes foi condenado a 20 anos e nove meses de prisão pela morte e ocultação de cadáver de Eliza Samudio. Fernanda Castro, que era namorada de Bruno, foi condenada, em primeira instância, a três anos de prisão, mas a pena foi substituída por prestação pecuniária e de serviços à comunidade.

Eliza Samúdio desapareceu em 2010 e o corpo dela nunca foi achado. Ela tinha 25 anos na época e era mãe do filho recém-nascido do goleiro. Na ocasião, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.



Fonte: Portal Minas