Postado em 14/08/2019

Obras no Museu Mariano Procópio - Piso da Villa Ferreira Lage começa a ser sintecado

Previsão é que obras acabem dentro de 38 dias.

Obras no Museu Mariano Procópio - Piso da Villa Ferreira Lage começa a ser sintecado

O processo de restauração do prédio da “Villa Ferreira Lage”, do Museu Mariano Procópio, está contemplando, nesta etapa, obras de recuperação de assoalhos, teto, rodapés, elementos decorativos e pinturas das paredes. Com 38 dias previstos para o término desta fase, foi iniciada a aplicação de sinteco de longa duração no piso do segundo pavimento da casa.

Os quartos “3” e “Maria Amália” já passaram pelo processo. Ainda esta semana, recebem o processo os quartos “1” e “2”. O lixamento da sala já está sendo realizado, para ser o cômodo seguinte a receber o sinteco. “Por se tratar de restauro de um prédio histórico, mesmo na aplicação do produto nos certificamos de cuidados especiais, dedicando um maior tempo à cura ao sinteco, cerca de quatro dias”, esclarece o engenheiro responsável pela obra, João Mamede.

Outra equipe de restauração trabalha paralelamente no tratamento de pequenas trincas e fissuras do forro e pintura do corredor principal de circulação da “Villa”. Devido à instalação de andaimes no espaço, a realização de visitas técnicas ao processo de restauro está suspensa. “As obras estão com o andamento dentro do previsto. Já estamos no processo de preparação para a realização de projetos para uma nova etapa, o que ainda depende da captação de recursos”, ressalta o diretor da Fundação Museu Mariano Procópio, Antônio Carlos Duarte.

A retomada da restauração do prédio histórico começou em 22 de maio deste ano. A previsão é de que esta fase seja concluída no final de setembro. A continuação do restauro está sendo possível devido ao patrocínio de R$ 1.190.162,85 da MRS Logística S/A, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

O complexo arquitetônico do Museu “Mariano Procópio”, que compreende a “Villa Ferreira Lage” e o prédio “Mariano Procópio”, foi doado ao município em 1936 por Alfredo Ferreira Lage, filho de Mariano. Atualmente, o Museu possui acervo de 55 mil itens, sendo considerado o segundo maior do Brasil em importância do período imperial.

Fonte: Agência Brasil

Concursos