Postado em 11/06/2019

Juiz de Fora atinge meta de cobertura vacinal da influenza

De acordo com o Setor de Imunização da Secretaria de Saúde foram imunizadas 150.841 pessoas do grupo prioritário, o que corresponde a 91,9% no índice de cobertura vacinal.

Juiz de Fora atinge meta de cobertura vacinal da influenza

A campanha de vacinação em Juiz de Fora contra a influenza, o vírus da gripe, atingiu a meta imposta pelo Ministério da Saúde (MS) que era de beneficiar, no mínimo, 90% do público-alvo. De acordo com o Setor de Imunização da Secretaria de Saúde (SS) foram imunizadas 150.841 pessoas do grupo prioritário, o que corresponde a 91,9% no índice de cobertura vacinal.

Historicamente, as crianças e gestantes são os públicos com menor cobertura vacinal. Esse ano, o MS colocou em prática uma nova estratégia, antecipando em uma semana o início da vacinação desse alvo,que atingiu, assim, índice de imunização de 76,49% e 77,35%, respectivamente. Também fizeram parte dos grupos prioritários pessoas a partir de 60 anos (94,80%), trabalhadores da saúde (97,17%), mulheres de até 45 dias pós-parto (94,80%), professores (96,41%) e portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (94,96%).

De acordo com a supervisora do Setor de Imunização, Marcilene Chaves, é importante que Juiz de Fora tenha conseguido atingir o índice de cobertura total preconizado pelo MS, já que essa vacina diminui a incidência de casos graves de influenza. Mas ressaltou que “é necessário que os responsáveis por crianças se atentem à importância de manter a caderneta de vacinação atualizada, uma vez que elas estão no processo de formação do sistema imunológico.

O Brasil já conseguiu erradicar várias doenças, como a paralisia infantil, através do Programa Nacional de Imunização (PNI), um dos mais completos do mundo. Portanto, precisamos da colaboração de todos, para que possamos continuar protegendo nossas crianças”.

A vacina ofertada em 2019 é a trivalente, que protege contra os três subtipos do influenza: H1N1, H3N2 e B. Ela é composta por vírus inativados, ou seja, mortos, e, por isso, é muito segura, mas é contraindicada para pessoas que têm alergia grave a ovo de galinha. As doses das vacinas foram disponibilizadas nas 63 unidades básicas de Saúde (UBSs) e nos departamentos de Saúde da Criança edo Adolescente (DSCA) e do Idosos (DSI) e Pronto Atendimento Médico (PAM) Marechal.

* Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde pelo telefone 3690-7123/7389.


Fonte: PJF