Postado em 14/05/2019

Mais de 70 mil pessoas ainda não se vacinaram contra a gripe em Juiz de Fora

Faltando apenas 14 dias para o término da “Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza”, Juiz de Fora ainda registra um baixo índice de procura pela vacina.

Mais de 70 mil pessoas ainda não se vacinaram contra a gripe em Juiz de Fora

Apesar dos 66 postos espalhados por toda a cidade durante a “Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza”, e faltando apenas 14 dias para o seu término, Juiz de Fora ainda registra um baixo índice de procura pela vacina. De acordo com o setor de Imunização, do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (Dvea), a cobertura vacinal chegou a 54,17%. No município, o público-alvo totaliza 165.591 pessoas e reúne a população com mais de 60 anos, crianças entre seis meses e 6 anos incompletos, professores, trabalhadores de saúde, gestantes e mulheres no pós-parto (até 45 dias). Além dessas, precisam se vacinar portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, apresentando prescrição médica. Do total, 75.877 ainda não se imunizaram.

Estes dados têm preocupado a Secretaria de Saúde, que vem alertando e orientando a população desde o início de abril sobre a importância de manter a imunização em dia. A médica do Dvea, Sônia Rodrigues, explica que a gripe é uma infecção respiratória com potencial de se tornar grave. “A síndrome gripal é mais branda, o paciente apresenta como sintomas coriza, febre, mal estar e tosse, por exemplo. Mas é necessário salientar que eles podem evoluir para um quadro mais grave, levando até a óbito, principalmente as pessoas que fazem parte do público-alvo desta campanha”, ressalta.

A supervisora do setor de Imunização, da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), Marcilene Chaves, lembra que o período de temperatura mais fria está chegando e que este clima é propenso a maior circulação do vírus. Sendo assim, maior chance de contrair a gripe e, também, a evolução para casos mais graves. “As vacinas existem para nos proteger, e as mais importantes são oferecidas de forma gratuita, por meio do nosso Programa Nacional de Imunização (PNI). A população precisa atentar na importância de manter a caderneta de vacinação atualizada”, explica.

A vacina ofertada é a trivalente, que protege contra os três subtipos do influenza: H1N1, H3N2 e influenza B. Ela é composta por vírus inativados, ou seja, mortos, e, por isso, é muito segura. A dose é contraindicada para pessoas que têm alergia grave a ovo de galinha. As doses das vacinas continuam disponíveis, até 31 de maio, nas 63 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), no Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente (DSCA), no Departamento de Saúde do Idoso (DSI) e no PAM-Marechal, de segunda a sexta-feira.

Horário de funcionamento das salas de vacinação (segunda a sexta-feira):

* Unidades Básicas de Saúde: 8 horas às 10h30 e 13 horas às 16h30 – Todos os grupos prioritários.

* Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente: 8 horas às 15h30 – Rua São Sebastião, 772 – Crianças, gestantes e puérperas

* Departamento de Saúde do Idoso: 8 horas às 15h30 – Rua Batista de Oliveira, 943 – Somente idosos | A partir do dia 22 de abril.

* PAM Marechal: 8 horas às 16h30 – Sala de vacinação no 3° andar – Todos os grupos prioritários, menos os idosos.


* Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde pelo telefone 3690-7123/7389.



Fonte: PJF