Postado em 17/04/2019

PJF inicia campanha contra o vandalismo e pelo bom uso dos espaços públicos

'Vamos mostrar o quanto é desperdiçado em tempo, dinheiro e serviço e como tudo poderia ser melhor aproveitado com pequenas atitudes de todos.'

PJF inicia campanha contra o vandalismo e pelo bom uso dos espaços públicos

No momento em que a Secretaria de Comunicação Pública (Secom) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) lança a Campanha “Eu cuido de JF – Se é público, também é seu”, Juiz de Fora amanheceu esta quarta-feira, 17, com 35 lixeiras, que foram instaladas pelo Demlurb, na última semana, em diversos pontos de ônibus da Avenida Rio Branco, vandalizadas. O prejuízo ainda foi duplo, porque além de retirarem os adesivos das caixas coletoras, os autores, ainda não identificados, colaram o material nos vidros dos pontos de ônibus, em um duplo ato de vandalismo.

Uma equipe do Demlurb está trabalhando na remoção dos adesivos e da cola que ficou nos vidros dos abrigos, sendo necessário o uso de solvente para a limpeza completa. O serviço é minucioso e ainda não tem prazo para ser concluído. “Também realizamos a higienização completa de todos os pontos de ônibus da Avenida Rio Branco nos dias 8 e 10 deste mês, inclusive, com a remoção de ações de vandalismo. O Demlurb está trabalhando incansavelmente para manter a cidade limpa, mas, a população precisa fazer a sua parte”, ressalta o diretor Operacional do Demlurb, Tiago Rocha.

Campanha conscientiza sobre o vandalismo e a importância do bom uso do espaço público

A campanha realizada pelo Departamento de Marketing da Secom tem como objetivo conscientizar a população quanto à necessidade do melhor uso de espaços públicos, promovendo a diminuição do vandalismo, do descarte irregular de lixo e entulho, entre outros problemas urbanos que afetam o dia a dia da cidade, incomodam a população e ainda geram custos para o município. No último ano, por exemplo, o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (Demlurb) gastou mais de R$ 1,3 milhão na limpeza diária dos bota-fora irregulares.

Pelas ruas da cidade, outra situação chama atenção: o furto e a destruição de lixeiras. A cada dois dias, uma caixa coletora precisa ser reposta, gerando um custo de R$ 24 mil ao ano. Os recursos poderiam ser aplicados em melhorias no serviço de limpeza urbana, coleta, capina, varrição e atenção ao Canil Municipal, entre diversas outras ações que beneficiariam toda a cidade, mas acabam sendo utilizados na correção de problemas. Outros setores também são afetados. A PJF teve que investir, em um ano, cerca de R$ 160 mil na recuperação de iluminação pública em locais onde a fiação elétrica foi furtada.

O prefeito Antônio Almas ressalta que a intenção é alertar as pessoas para um problema visível, que afeta a qualidade de vida da população como um todo e é frequente. “Infelizmente, algumas pessoas agem como se o que é público não lhes pertencesse ou não fosse de ninguém. Mas, na verdade, o que é público é de todos. Se entendermos que a cidade é nossa e cuidarmos dela, em pouco tempo veremos diferença. É uma mudança comportamental que traz benefícios a todos”.

Dinheiro público

Outra situação corriqueira é o excesso de lixo descartado no chão. Todos os dias, somente no Centro, o Demlurb recolhe quatro toneladas de detritos descartados pela população em plena via pública. Também assustam a quantidade de pichações pela cidade, o roubo e a depredação de placas de trânsito, ampliando os riscos para quem trafega, entre diversas outras questões que serão abordadas ao longo da campanha, conforme explica o secretário de Comunicação Pública, Michael Guedes. "Vamos mostrar o quanto é desperdiçado em tempo, dinheiro e serviço e como tudo poderia ser melhor aproveitado com pequenas atitudes de todos."

Fonte: PJF