Em live transmitida pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) na manhã desta sexta-feira (31), o prefeito Antônio Almas (PSDB) apresentou justificativas para o veto ao projeto de lei, proposto pela Câmara Municipal, que incluía as celebrações religiosas entre os serviços essenciais, derrubado nesta quinta (30) pela Casa. O chefe do Executivo também pediu sensibilidade aos líderes religiosos, assegurando que uma nova discussão na próxima quinta-feira (6) deve definir as regras para o funcionamento de templos religiosos. Leia Mais
Postado em 31/07/2020