Sete testemunhas foram ouvidas no julgamento popular do homem de 27 anos acusado de matar com um tiro no rosto a ex-namorada Alícia Maria Freitas Cordeiro, 18. O crime, qualificado como feminicídio, aconteceu em 7 de setembro de 2018, durante um churrasco na casa do então novo namorado dela, no Bairro Grajaú, Zona Sudeste de Juiz de Fora. O jovem (21) também foi baleado, mas sobreviveu após ficar cerca de 20 dias internado, 15 deles em coma induzido.

Por volta das 15h teve início o interrogatório do réu. Ele confirmou ter ficado preso entre novembro de 2017 e fevereiro de 2018 por agressão contra Alícia e a irmã dela, mas alegou que não costumava bater na namorada. O homem contou ter começado a se relacionar com a jovem quando ela tinha 15 anos. O namoro teria durado cerca de três anos, “entre idas e vindas”. Na época, conforme seu depoimento, ele tinha três filhos com três mulheres. Leia Mais
Postado em 18/07/2019