Alfandegado em março último, o Terminal de Carga Aérea (Teca) do Aeroporto Regional da Zona da Mata está sob adequação da Receita Federal para receber operações de importação e exportação de cargas. Depois de cumprir pré-requisitos estruturais e tecnológicos para realizar atividades aduaneiras, a Concessionária do Aeroporto da Zona da Mata (CAZM) agora depende de demandas comerciais de insumos, máquinas e bens junto a indústrias para viabilizar o funcionamento do Teca. Entretanto, além da concorrência do Porto Seco de Juiz de Fora, a infraestrutura da malha rodoviária, sobretudo da MG-353, principal leito de acesso ao Aeroporto Regional, é outro empecilho para o escoamento de cargas, dados a pista simples, a ausência de acostamento e a sinalização encoberta. Leia Mais
Postado em 13/04/2019