O reajuste da tarifa do transporte coletivo urbano de Juiz de Fora, em vigor a partir desta segunda-feira (5), está sob investigação preliminar da Promotoria de Defesa do Consumidor do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG). Notificados nesta segunda, a Prefeitura de Juiz de Fora e a Astransp, administradora do Consórcio Manchester, têm dez dias úteis para responder aos questionamentos do promotor Oscar Santos de Abreu acerca dos índices aplicados na fórmula paramétrica para a atualização do preço. O vereador Adriano Miranda (PHS) também formalizara, na última quarta (31), representação à Promotoria de Defesa do Consumidor solicitando a imediata suspensão do reajuste. Após as respostas do Executivo e da empresa, a promotoria definirá os próximos passos a serem tomados pela investigação. Leia Mais
Postado em 06/11/2018