Exercitar-se regularmente é um hábito importante para reduzir os riscos à saúde, aumentar nossos níveis de energia e manter nossa mente ativa.

O sedentarismo é um dos principais fatores de risco de morte no mundo e há diversos indícios que o vinculam ao surgimento de problemas cardiovasculares, câncer e diabetes.

Mas, apesar de todos os conselhos sobre isso e o grande volume de informações disponíveis sobre os benefícios da atividade física para a saúde, há algo em nós que nos leva a ter muita dificuldade de sair do lugar. Leia Mais
Postado em 01/10/2018

Idosos dão lição de vida sobre como envelhecer com saúde, autonomia e de forma ativa Ao fincar o pé na certeza de que não há limites cronológicos para saborear novas situações e sensações, pensar em um envelhecimento saudável, muitas vezes, significa colocar na balança alguns paradigmas relacionados à terceira idade. Afinal, chegar à velhice com autonomia, bem-estar e qualidade de vida é o que muita gente procura. Fatores como o equilíbrio físico e psicológico, independência, relações sociais, manutenção de atividades de trabalho, lazer e religiosidade estão entre as atitudes que influenciam a ter uma maturidade tranquila. Pilares como dieta bem-elaborada, cuidados preventivos para evitar doenças, prática de exercícios, contatos interpessoais e troca de experiências, além das questões emocionais, são bases firmes para estar bem até quando a natureza deixar.

De acordo com estatísticas oficiais, entre a maioria dos brasileiros, o desejo é alcançar os 85 anos de idade, mais que a expectativa média de 75,5 anos. O problema é que a maior parcela das pessoas não incorpora um estilo de rotina que ajude nessa finalidade. Ao mesmo tempo, uma parte grande da população está ciente de que mudar o cotidiano com uma postura mais responsável pode prolongar o tempo de vida. E o Dia do Idoso, lembrado nessa segunda-feira (1º de outubro), é uma oportunidade para trazer à tona essas reflexões. Leia Mais

Postado em 01/10/2018