A eficácia dos antibióticos pode ser alterada, combinando-os uns com os outros, medicamentos não-antibióticos ou mesmo com aditivos alimentares. É o que diz um estudo publicado na revista 'Nature' nesta quarta-feira (4).

Dependendo da espécie bacteriana, algumas combinações impedem que os antibióticos trabalhem em seu pleno potencial, enquanto outros começam a combater a resistência aos antibióticos, relatam os pesquisadores.

Na primeira triagem em larga escala de seu tipo, os cientistas traçaram cerca de 3.000 combinações de drogas em três diferentes bactérias causadoras de doenças.

A pesquisa foi liderada por Nassos Typas do Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL). Leia Mais

Postado em 04/07/2018

Adesivo para tratamento de Alzheimer já está disponível pelo SUS Uma nova forma de tratamento para o Alzheimer está disponível no SUS. O remédio rivastigmina, já disponibilizado em comprimido e solução oral, agora também é disponibilizado em forma de adesivo transdérmico.

A rivastigmina faz com que ocorra um aumento de uma substância chamada acetilcolina, que está reduzida no cérebro de quem tem Alzheimer, mas a medicação pode causar sintomas gastrointestinais como náuseas e diarreia, diminuição do apetite e dor de cabeça.

A adição do adesivo à lista de remédios do SUS representa uma melhoria na qualidade de vida de alguns pacientes. Por ser colocado na pele, a absorção do remédio se dá ao longo do dia e por isso tem menos efeitos colaterais, especialmente no sistema digestivo. Leia Mais

Postado em 04/07/2018